Ir para o conteúdo

Como o display do Galaxy S10 protege os usuários da luz azul

Se você geralmente usa o seu smartphone antes de dormir e está tendo problemas para adormecer, você não está sozinho

author,

galaxy s10

De acordo com as recentes pesquisas da Counterpoint Research, quase metade dos usuários de smartphones, no mundo todo, passam mais de cinco horas por dia em seus dispositivos móveis. Mas estudos mostram que, assim que o sol se põe, a luz azul da tela do seu smartphone e outras fontes de luz artificial podem confundir seu relógio biológico – fazendo com que adormecer seja mais difícil e possivelmente causando problemas mais sérios, com o passar do tempo.

Para proteger os olhos dos usuários dos efeitos potencialmente nocivos da luz azul, a Samsung equipou a linha Galaxy S10 com um display que reduz a exposição das pessoas aos comprimentos de onda da luz azul – sem comprometer a qualidade da imagem. A tela AMOLED dinâmica foi certificada pela Verband Deutscher Elektrotechniker (VDE) quanto ao fornecimento de 100% do volume de cor móvel na gama de cores DCI-P3.

Por que a exposição à luz azul é importante?

A luz azul é geralmente definida como uma faixa de luz de alta intensidade e comprimento de onda curto (380 a 500 nanômetros) no espectro de luz visível.

Nos dias de hoje, seja através das telas de dispositivos eletrônicos, das lâmpadas mais modernas (as que economizam mais energia) ou simplesmente da luz solar, estamos constantemente expostos à luz azul. O que não é totalmente ruim. Segundo a Royal Society Te Apārangi, uma organização sem fins lucrativos com sede na Nova Zelândia, “a exposição adequada à luz do dia, particularmente durante a manhã, é importante para sincronizar o relógio biológico circadiano, podendo afetar muitos processos, incluindo sono, metabolismo, função imunológica e até mesmo nosso humor.”

No entanto, descobriu-se que, à noite, a luz azul suprime a produção de melatonina (um hormônio que regula os ciclos de sono-vigília) mais poderosamente do que outros tipos de luz, afetando nossa capacidade de dormir. Uma pesquisa recente da Universidade de Toledo, nos EUA, também sugere que a luz azul de dispositivos móveis pode causar danos à retina.

Nesta era digital, com os usuários de smartphones passando cada vez mais tempo usando seus dispositivos móveis, é fácil entender por que a tecnologia de redução de luz azul tornou-se absolutamente necessária.

galaxy s10

Como o Galaxy S10 reduz a emissão de luz azul

A tela AMOLED dinâmica da linha Galaxy S10 foi criada a partir do zero para minimizar a fadiga ocular, de modo que os usuários possam ter uma boa noite de sono. Ao criar a tela, que recebeu a certificação oficial “Eye Comfort” (conforto ocular) da TÜV Rheinland, a Samsung aplicou novos materiais orgânicos que reduzem os comprimentos de onda de luz azul entre 415 e 455 nm (o alcance que a pesquisa sugere ser particularmente prejudicial à retina) em até 42%3 – sem o uso de filtros.

A tela AMOLED dinâmica reduz a transmissão de luz azul “nociva” (comprimentos de onda na faixa de 415 a 455 nm) para menos de 7% – a marca mais baixa do setor. Isso significa que o display do Galaxy S10 reduz em quase 50% a luz azul a mais do que os displays AMOLED anteriores (aproximadamente 12%) e acima de 60% a mais do que a maioria dos displays LCD de smartphones (aproximadamente 18%).

Para oferecer proteção adicional aos usuários, o Galaxy S10 também vem com um filtro de luz azul integrado (acessível através do Painel Rápido) que bloqueia até 99% dos comprimentos de onda da luz azul. Os usuários também têm a opção de configurar o filtro de luz azul para ligar automaticamente antes de irem para a cama, ativando a rotina predefinida “Antes de dormir” da Bixby, acessível em Configurações > Recursos avançados > Bixby Routines.

Curiosidades